Quebre a dormência das suas sementes!

Você acaba de adquirir sementes frescas daquela árvore ou flor especial e, mesmo com todas as condições adequadas no plantio, ainda assim ela não germina. O que pode estar acontecendo?

Provavelmente você deve estar com sementes em dormência. O termo dormência, ou quiescência, se aplica quando as sementes, apesar de viáveis, não germinam mesmo sob as condições ideais de substrato, temperatura, luz, umidade e ventilação. A dormência é uma maneira que as plantas encontraram para superar condições temporariamente desfarováveis à germinação. Por exemplo, uma semente de flor que não tolera o frio, pode ficar em dormência por cerca de 3 a 5 meses, dando o tempo suficiente para que o inverno passe. Outro exemplo frequente, é o das árvores do cerrado ou do nordeste, que precisam passar anualmente por um longo período seco. A germinação no período seco é inviável, por tanto as sementes só germinam depois de bastante tempo.

Os mecanismos que fazem com que uma semente seja dormente são variáveis. Algumas tem a casca dura e espessa, que impede a hidratação do embrião, em outras o embrião ainda não está completamente pronto, necessitando tempo para maturação. Outras ainda necessitam que o embrião acorde, por algum estímulo externo como o aumento ou descréscimo das horas de luz, ou até mesmo uma queimada natural.

Independente do fator que faça com que uma semente saia da dormência, é importante saber que há formas de quebrar a dormência de muitas sementes, simulando o estímulo que ela encontraria na natureza.

Abaixo você encontra uma tabela com os métodos de quebra de dormência para as sementes que comercializamos. Qualquer dúvida entre em contato.

Espécie
Nome
Científico
Tratamento
Aroeira-pimenteira Schinus terebinthifolius Remoção da casca do fruto e lavagem em água corrente.
Barbatimão Stryphnodendron adstringens Ácido Sulfúrico – 15 min ou Água – Ambiente – 12:00 h
Canafístula Peltophorum dubium Água (80o C) – 5 min ou Escarificação Mecânica
Cássia Imperial Cassia fistula Ácido Sulfúrico – por 30 a 60 min ou Escarificação Mecânica
Cássia Rosa Cassia grandis Ácido Sulfúrico – por 30 a 60 min ou Escarificação Mecânica
Cinamomo Melia azedarach Remoção da polpa
Coração-de-negro Albizia lebbeck Escarificação mecânica, ou Imersão em água a temperatura inicial de 80ºC, seguida de repouso por 24 horas.
Embaúba Cecropia sp. Presença de luz e uso de temperaturas alternadas.
Flamboyant Delonix regia Água ( 80o C ) – 5 min
Genipapo Genipa americana Imersão das sementes em água à temperatura ambiente (25ºC) por 48 horas.
Goiaba Psidium guajava Imersão em água à temperatura ambiente (25ºC) por 48 horas.
Graviola Annona muricata Molho em Água fria por 24 horas
Guapuruvu Schizolobium parahyba Água ( 90o C ) -1 min ou Escarificação
Mecânica
Louro-pardo Cordia trichotoma Escarificação Mecânica leve
Mulungu Erythrina crista-galli Escarificação Mecânica
Olho-de-pavão Adenanthera pavonina Escarificação Mecânica ou Ácido Sulfúrico – 35 min
Olho-de-cabra Ormosia arborea Escarificação Mecânica ou Ácido Sulfúrico – 35 min
Orelha-de-macaco Enterolobium contortisiliquum Ácido Sulfúrico – 90 min, Escarificação Mecânica ou Imersão em água por 72 horas
Paineira Chorisia speciosa Imersão em água fria por 24 a 48 horas
Pata-de-vaca Bauhinia variegata Escarificação Mecânica
Pau marfim Balfourodendron riedelianum Escarificação Mecânica seguida de Imersão em água fria por 24 horas.
Sansão-do-campo Mimosa caesalpiniaefolia Escarificação das sementes nuas em ácido sulfúrico 95% por 5 minutos
Sapucaia Lecythis pisonis Retirar o arilo
Tamarindo Tamarindus indica Escarificação, manual com lixa e imersão em água, por 48 horas.
Tipuana Tipuana tipu Imersão das sementes em água à temperatura ambiente (25ºC) por 48 horas.
Urucum Bixa orellana Escarificação Mecânica ou Imersão em Ácido Sulfúrico por 15 a 20 minutos.
Uva –do-Japão Hovenia dulcis Imersão em água fervente e permanência por 12 horas na mesma água.